Estás a criar paraísos ou infernos?

0

Para muitos, dar é fácil, receber é mais difícil.

A nossa resistência a aceitar que merecemos Luz, amor, apoio, carinho, tempo ou disponibilidade e quantas vezes o próprio dinheiro, são ainda indícios de que a nossa balança interna ainda não estabilizou na respectiva área.

Depois da longa temporada de vivências na escuridão, sair pela primeira vez para a Luz é um desafio.

Requer um imenso esforço.

Chega a ser doloroso.

Cria medos, pânicos, ansiedade e leva-nos por vezes a estados de ridículo controle.

Mas quando vemos a Luz pela primeira vez, já não há volta atrás. É-nos pedido a mais difícil atitude para um ser humano que acabou de chegar das trevas; largar tudo e confiar…

Tal como o bebé na sua hora terá que largar o ninho quente e protegido e sair para a Luz..

É uma longa e lenta transição entre os dois estágios.

Uns dias ainda controlamos outros já confiamos.

Umas horas temos medo outras temos fé.

Em algumas situações somos Luz, noutras resistimos, fazemos força, evitamos..

E até sairmos de vez das trevas e abraçarmos por completo a Luz iremos viver esta polaridade e iremos atrair esta dualidade.

Não há como brincar com o Universo e muito menos usar jogos e manipulações.

Ou confiamos ou controlamos.

e cada atitude tem o seu respectivo retorno.

Nem mais nem menos.

Se por vezes as coisas te parecem correr bem lembra onde agiste em amor e confiaste na vida?

Se pelo contrário sentes resistência, perda e frustração investiga onde e de que maneira estás ainda a controlar.

Neste estágio, nesta vivência da dualidade, a vida não é mais do que uma mesa de experiências nesse imenso laboratório de emoções biológico e energético que é o ser humano encarnado.

Numas vamos desgastar a energia do ego que ainda acredita que pode controlar.

Noutras, normalmente nas frustrações do ego, vamos experimentar entregar ao Céu e confiar para “ver o que acontece”.

sim porque sem a experiência de confiar, não sabemos de facto o que irá acontecer..

Para esses o Universo promete abundância, paz, equilibrio e amor incondicional.

Tal como a semente debaixo da terra que trás apenas o potencial de ser uma flor.

Ela ainda não sabe disso. Apenas sente .. intui .. confia .. deixa-se levar ..

O estado de abundância que tanto aspiramos, por que tanto rezamos, para onde é canalizada toda a nossa esperança de uma vida feliz está então dependente da nossa atitude nessa viagem das trevas para a Luz.

Está directamente ligada ao nosso processo interno de transformação do controle para a entrega.

Nós temos o poder capaz de criar paraísos e infernos.

Está na nossa mão, nas nossas escolhas, nas nossas decisões, nos nossos pensamentos, nas nossas emoções. Está em cada resposta, em cada atitude, em cada acção e reacção.

Nós não temos que correr atrás da Luz, ou sequer rezar por ela.

Ela já cá está, sempre esteve e sempre estará.

Não está dependente de ninguém, de sermos bonzinhos, de ajudar seja quem for, de fazer sacrifícios.

Está dependente apenas da nossa capacidade de sentir amor. De sermos amor.

Cabe-nos a nós então abrir as nossas janelas e as nossas portas internas que ainda estão fechadas desde o tempo das trevas.

Deixemos sem medo a Luz entrar para aos poucos irmos criando o paraíso onde todos gostaríamos de viver!

Bem Hajam!

Partilhe =)

Sobre o autor

Deixa um comentário

*

code