Ser feliz é uma escolha!

0

Espiritualidade não é mais do que a simples e também complexa mudança de foco do ego para a Alma. Aprender a ver o mundo através dos olhos e não apenas com eles. Conseguir ir para além das aparências e descobrir o significado misterioso dos acontecimentos. É no fundo um grandioso acto de humildade e fé de resgatar a sabedoria antiga e por em práctica as sábias Leis Universais, superando assim os dramas e manipulações básicas do ego.

Digo simples porque é uma mudança de foco e depende apenas de uma escolha ou tomada de consciência nossa a partir do momento em que despertamos para o fenómeno.

Complexa porque os mecanismos de sobrevivência do ego são incansáveis em nos manter presos a essa velha energia, adiando continuamente o fenómeno do despertar de acontecer.

No entanto esse é afinal o propósito da nossa existência, o grande jogo da vida, o nosso Armagedon pessoal e interior onde cada um de nós, leve o tempo que levar, irá escolher a Luz contra as trevas.

Sendo assim, nunca é demais expor as diferenças entre um foco e o outro, lembrar os mecanismos de sobrevivência do ego e resgatar os quase perdidos no mundo actual, valores eternos da Alma.

Tal como o escuro se desfaz na presença da Luz, também o ego se irá dissolver ou neutralizar quando escolhermos seguir apenas a voz da Alma.

*

“O ego é a parte de nós que nada sabe de felicidade, eternidade ou espiritualidade. O ego é o deslumbramento com a nossa personalidade e identificação total com os nossos aspectos terrenos tal como bens materiais, corpo, conjunto de ideias, valores e ideais. Identifica-se unicamente com o seu nome, estatuto, diploma, cargo e corre atrás de tudo o que possa engrandecer esses aspectos. O ego vive a partir da sua noção de separatividade e espírito de competição e como a sua existência tem uma data de validade, vive numa corrida frenética e ilusória de atingir um qualquer pódio, onde irá ter o seu reconhecimentos, custe o que custar.” Vera Luz

Exemplos de padrões do ego:

· Acusa, julga, condena, fala mal, queixa-se constantemente, fala alto. Desgasta a energia do outro para se engrandecer

· Identifica-se com as posses materiais, apegado a bens e pessoas.

· Precisa ter razão, ser perfeito, ganhar, chegar primeiro, ser mais…

· Coloca rótulos negativos nas pessoas e acredita que é melhor que todos.

· Precisa, manipula, exige reconhecimento e fica revoltado, violento ou ressentido quando não o tem.

· Está constantemente a chamar a atenção falando sempre num tom vitimizador.

· Dá opinião num tom de verdade absoluta sem que ninguém a peça.

· Preocupação permanente em manter uma imagem perfeita perante o outro ou em publico para esconder a enorme sombra que carrega.

· Atitude arrogante e de superioridade mostrada através da palavra, corpo, títulos, feitos e conquistas ou da exibição de bens materiais.

· Indiferença, amuo, manipulação e esquemas para chamar atenção e desgastar o outro.

· Projecção das próprias sombras reveladas nas acusações dirigidas ao próximo.

· Aproveitamento da fragilidade e sensibilidade do outro em proveito próprio.

· Necessidade de estar no centro das atenções ressaltando a diferença, as qualidades ou através da vitimização.

· Regido pelo princípio da luta, força, superioridade, resistência, guerra, sobrevivência e superioridade sobre o outro.

· Acredita na morte, no fim, na perda por viver identificado com a personalidade e logo vibra em permanente medo de perder, fica sem, de morrer.

· Vibra na energia do medo, da negatividade, do pessimismo e ausência total de fé num poder maior.

“A Alma é a parte de Deus em nós que apenas busca felicidade, equilíbrio, cooperação e superação. A Alma lembra-nos a nossa condição energética, divina, cósmica. Lembra-nos que a vida é uma experiencia, um jogo de superação interior, uma redescoberta do Deus em nós, uma mudança de foco do ego para a Alma, do sentido de ter para o sentido de Ser. A Alma sabe que da mesma maneira que chegamos à experiência terrena sem tralha, sem tralha partiremos dela e que a grande proposta é uma única; a nossa capacidade de Amar.” Vera Luz

Exemplos de padrões da Alma:

· Ama, sente, fragiliza, sente a humanidade como uma família.

· Vive com a noção constante de a vida é uma experiência sagrada com um propósito de evolução.

· Positiva, optimista e cheia de confiança pois sabe que todo o desfecho contém lições e aprendizagens indispensáveis ao crescimento da Alma e que a vida é regida por Leis Universais justas e equilibradas.

· O exterior, os eventos, as pessoas são simplesmente um enorme espelho do mundo interior. Tanto das sombras como da Luz.

· Está permanentemente atenta ao funcionamento das Leis Universais como a Lei da Atracção, a Lei da Ressonância e o fenómenos dos espelhos branco e negro.

· Sabe que todos somos individualizações da mesma energia, que carregamos em nós todos os 12 Arquétipos e que somos regidos pelas mesmas Leis Universais.

· Precisa e cultiva o silêncio, o recolhimento e o Tempo necessário para fazer as suas mudanças.

· Tem perfeita consciência de que cada um tem um caminho pessoal, individual, único e intransmissível ao qual só nós podemos escolher como responder e agir.

· Sente empatia e tolerância para com o percurso do próximo pois sabe que ou já lá passou ou ainda irá passar pelo mesmo tipo de experiência.

· Atitude de humildade, reconhecimento e amor para com as suas sombras e logo, com as do próximo.

· Passividade e escolha consciente de não alimentar o seu ego ou o do outro quando provocada pelo ego do outro.

· Espírito de igualdade, cooperação e crescimento mutuo para com quem a rodeia.

· Capacidade de dizer a verdade amorosamente, de ouvir o outro, de pedir desculpa, assumir um erro, reconhecer uma falta, de se questionar quanto às suas escolhas.

· Regida pelos princípios da aceitação, rendição, cooperação, igualdade, tolerância e respeito pela individualidade e liberdade de cada um.

· Procura sempre viver alinhada com o Espírito Superior, dar significado sagrado à sua existência, expressar amor das mais variadas maneiras, procurar ferramentas que exponham o seu ego e que alimentem a sua Alma.

· Espírito humanitário, necessidade de viver de acordo com princípios sagrados, consciência das energias Yin e Yang dentro de cada um de nós e da busca de equilíbrio das mesmas.

· Acredita num Universo Inteligente, na vida para além da morte, num percurso eterno rumo à Luz e à experiencia do Amor.

· Vibra em Amor, flui com a vida, confia na atracção dos eventos que o que está previsto vir a nós virá e o que não está não virá independentemente da nossa vontade ou luta.

Como seres energéticos e magnéticos que somos, iremos sempre atrair para a nossa experiência exterior, espelhos do teatro interior. Se nos mantivermos identificados e focados nos aspectos do ego, a experiência terrena pessoal será sempre um campo de batalha, uma fonte constante de desafios e a provocação ao limite dos nossos medos e inseguranças onde o nosso auto intitulado pseudo-poder será sempre posto em causa.

Sempre que nos conseguimos identificar e ver o mundo a partir do foco da Alma, o mundo material será a representação de Deus nas suas mais variadas vertentes. Será visto como o palco de um imenso jogo com regras justas, equilibradas e pré-definidas e onde a atitude com que jogamos terá sempre a mais justa e equilibrada consequência. A partir deste foco sabemos que com Amor, teremos sempre a possibilidade de chegar mais perto do objectivo final; a relembrança de quem somos.

Ajustar as nossas lentes passa a ser assim uma escolha essencial que irá definir se vivemos no inferno ou no paraíso.

Que estas palavras ajudem a cada um de nós a focar e viver mais a partir da sua Luz e fonte de Amor interior.

Ámen

Partilhe =)

Sobre o autor

Deixa um comentário

*

code