O estado do mundo, Natal #2021

0

Mensagem de Natal 2021

A chegar ao fim de um ano que desde Dezembro de 2020, já previa ser diferente para mim. Não propriamente pelo estado actual do mundo, mas sim porque estive a fechar um ciclo de 9 anos com um peso Karmico 14/5, sob a energia de um Ano Pessoal 9.

Ao contrário da Astrologia que obriga à análise de tantos trânsitos planetários para percebermos o momento presente, a Numerologia ajuda-nos a percebê-lo de forma mais fácil através do ciclo em que estamos, do desafio Karmico a superar, da energia do trimestre e do Ano Pessoal em que estamos.

Recordando os meus anteriores Anos Pessoais 9, todos são de facto vividos de formas diferentes, mas todos têm em comum, paragem forçada, rendição, mudança de rumo, cura de feridas, libertação de velhos formatos de vida, desapego de pessoas, questionamento profundo de quem somos e do que queremos ainda manifestar, momento de agradecimento das lições já adquiridas até aqui, desejos e anseios que terão o novo ciclo para ser manifestados.

Num mundo perfeito, alinhado com a proposta espiritual, todos teríamos direito a um ano sabático numas quaisquer termas maravilhosas de 9 em 9 anos para questionarmos o nosso caminho, a nossa pessoa e o nosso futuro.
Haveria sem dúvida menos stress, menos ansiedade, menos inconsciência, menos depressões. Haveria com certeza mais saúde, mais amor próprio, mais consciência de quem somos, mais equilíbrio pessoal.

Viver um Ano Pessoal 9 ou trânsitos astrológicos desafiantes sem consciência, sem mínima preparação, acreditando ingenuamente no 31 de Dezembro que o ano novo será melhor que o anterior, é formula perfeita para um enorme trambolhão e desilusões várias e por isso não me canso de lembrar a importância de conhecermos o nosso mapa e os trânsitos do momento!

Todos os anos comprovo o quanto o investimento interior compensa!

É imensa a diferença entre uma pessoa que aparece numa consulta num estado miserável por viver de forma inconsciente, que vem em busca de respostas pela primeira vez, de uma outra pessoa que já iniciou o seu processo pessoal de auto conhecimento há algum tempo e que já lida positivamente e conscientemente com os desafios que a rodeiam.
Tanto uma como a outra, são o meu incentivo para continuar a proporcionar um espaço de cura, de crescimento espiritual e de conhecimento pessoal e a todos os corajosos todos os anos agradeço a confiança e aplaudo a coragem.

E nunca antes foi tão importante desenvolver a consciência pessoal, espiritual e social!
E porquê?

Não sei se já reparaste que vivemos numa sociedade que está longe de ser saudável.
Não há respeito pelo ambiente, pelos animais, pelo ser humano nas variadas condições essenciais ao seu bem-estar como; saúde, bem-estar emocional, mental, físico e espiritual, auto conhecimento, ecologia, cidadania, alimentação natural, espiritualidade, sabedoria antiga, filosofias Orientais, conhecimentos ancestrais como Astrologia, Numerologia, Fitoterapia, curas várias pela natureza, tradições espirituais herdadas pelos nossos ancestrais, etc.

Não deixa de ser um paradoxo vivermos num tempo tão “inteligente e desenvolvido” e estamos (Planeta, ser humano, e animais) em pior estado do que nunca.

Será tempo então para começarmos a questionar “quem manda”, quem tem o poder na mão, quem tem o poder de tomar decisões que nos afectam a todos. E não estou a falar de políticas esquerdas e direitas pois esse tipo de lutas só servem para nos cansar e distrair. Estou a falar de quem manda nos que mandam.

Não é hoje segredo nenhum que uma pequena elite gere os desígnios sociais e financeiros do mundo. As suas reuniões anuais tornaram-se famosas, percebe-se porque cada vez melhor os diferentes chefes de estado que falam cada vez mais a mesma língua / mensagem e temos até alguns portugueses fazendo parte dessa milionária lista.
Tens informação nos sites abaixo;

https://www.weforum.org/about/world-economic-forum

https://www.weforum.org/agenda/2019/12/davos-manifesto-1973-a-code-of-ethics-for-business-leaders/

Tivemos agora com a pandemia um exemplo disso em como todos os países do mundo estavam a passar a mesma mensagem, a ditar regras iguais, os dirigentes a dizer a mesma coisa, as noticias e imagens a passar da mesma maneira.
Mas não te iludas com a imagem bonita ou intenções positivas de quem faz parte dessa elite…

Quando os que produzem e vendem legalmente cigarros e comidas processadas cheias de farinha e açúcar, responsáveis por cancros, ataques de coração, colesterol, tensão alta, diabetes, são os mesmos que vendem os medicamentos e tratamentos que “curam” estas mazelas, e também que ilegalizaram o consumo de ervas curadoras como a canábis por exemplo, algo não faz sentido. Quando os que defendem uma sociedade com cargas de impostos altíssimas, horas exageradas de trabalho e responsabilidades de créditos elevadíssimos gerando pessoas que vivem em constante burnout, são os mesmos que vendem ansiolíticos e anti depressivos, precisamos começar a questionar as verdadeiras intenções de “quem manda”, ou seja, desta elite que gere a sociedade.

Já reparaste que tudo o que é natural, biológico, que devolve bem-estar, consciência e poder pessoal, é discretamente afastado e abafado e todos aqueles que foram descobrindo curas através das plantas, misteriosamente desaparecem?
Porque qualquer pessoa de medicina alternativa, mesmo com resultados positivos é sempre ridicularizada e penalizada social e academicamente?
Porque mantemos um ensino medieval ridículo que apenas adormece mentes em vez de potenciar a individualidade e incentivar a consciência, a cidadania e o poder pessoal?
Porque os Media são hoje em dia pagos por “quem manda” passando assim a estar ao serviço de “quem manda” e não ao serviço do interesse do indivíduo?
E porque nunca aparece em canal nenhum, em programa nenhum, críticos do sistema, vozes diferentes, vidas de quem realmente quer o bem do mundo e do ser humano, que já desenvolveu moldes de transformação e resolução de problemas, modos de vida alternativos, formas diferentes de pensar, informação valiosa como manter o sistema imunitário forte através de suplementos e uma alimentação saudável mas pelo contrário temos 10 minutos entre programas a vender farinhas, açucares, gorduras, créditos, produtos cheios de químicos, hoje em dia, va ci nas e futilidades que só nos adormecem e distraem do que é realmente importante?
Como é possível pensar em robots, tecnologia para ir a Marte quando ainda estamos na idade da pedra no que toca à qualidade de vida, harmonia e respeito pelo próximo seja ele humano, animal ou a natureza?

Resposta a estas e outras perguntas pertinentes;

– Porque não interessa a “quem manda” que o indivíduo ganhe poder. Porque “quem manda” perderia poder, deixaria de mandar, ganhar e decidir sobre a nossa vida tão facilmente como tem feito até agora.

Infelizmente, a imatura ingenuidade, ou melhor dito, a falta de poder e consciência pessoal de cada um, levou-nos a delegar esse poder interior de decidir o que é ou não melhor para nós mesmos, a alguém externo, tal como confiamos cegamente, quando somos crianças no adulto à nossa volta. O medo que sentimos quando percebemos que estamos por nossa conta leva-nos a vender a alma ao primeiro “protetor” que aparece, não raras vezes um aproveitador disfarçado e por isso a ladainha da segurança e proteção é uma ferramenta que todos os políticos usam e conhecem muito bem.

É precisamente esse medo, essa falta de consciência e irresponsabilidade pessoal que tem dado aos “que mandam” cada vez mais oportunidade de escolherem por nós. De decidirem como condicionam a nossa vida. Como gastamos com eles o dinheiro que ganhamos. Como lhes compramos curas depois deles nos adoecerem. Como lhe pagamos ordenado com os nossos impostos para eles viveram como milionários. Como precisamos pagar conhecimento e sabedoria depois de anos de adormecimento escolar. Como precisamos de vez em quando de nos revolucionarmos depois de anos de vermos a nossa liberdade e direitos roubados ou trocados pela dita segurança.

Se reparares bem, tornámo-nos ratos de laboratório presos numa enorme gaiola, a trabalhar pela ração que nos vendem, a pagar impostos e créditos absurdos pela gaiola e a pagar os medicamentos das doenças que a ração que nos dão causa.
Como é que chegámos a um ponto de confiar em “quem manda” quando os mesmos têm corrupta e descaradamente vidas milionárias à nossa custa? Quando as suas “orientações” mais não são do que nos mantenhamos adormecidos e continuemos a confiar em “quem manda”?

Os números de ansiedade, stress, depressão e suicídio mostram bem que quem manda não está preocupado com o nosso bem-estar, mas sim e apenas com os lucros financeiros que obtêm de cada movimento que fazemos. A frustração das crianças com o ensino, as doenças facilmente evitáveis com mudança de alimentação, a futilidade e perigosidade dos conteúdos das televisões, a ingenuidade no que toca a leis e direitos não são nem nunca serão prioridade para “quem manda”.
Embora nos tenham vendido este formato “normal” de vida, ele não é nem normal nem saudável e só tenderá a apertar-nos ainda mais se não reagirmos e começarmos a questionar “quem manda” em vez de continuar a ceder o poder e a acreditar que quem manda nos quer tão bem como a mamã e o papá nos queriam.
Há séculos que o dinheiro do mundo se distribui entre 90% na mão de “quem manda” e os restantes 10% divididos pela humanidade. Haver multimilionários e crianças a morrer à fome num planeta deste tamanho, mostra bem que “quem manda” não segue valores de justiça, igualdade, fraternidade, cooperação, liberdade ou sequer o velho respeito. Ajudar pessoas, salvar animais e restaurar a natureza nunca foi a intenção de “quem manda” pois se fosse, temos hoje dinheiro, tecnologia e inteligência para viver em harmonia num paraíso natural!

Basta olhar para o mundo para perceber que não é essa a intenção de “quem manda”!
Chegou o tempo de crescer e abrir a pestana! Chegou o tempo de nos juntarmos e assumirmos o poder de decidir e escolher onde colocamos e a quem confiamos o nosso poder.

Os trânsitos planetários e numerológicos dos próximos anos escondem este convite de “despertar”, de questionar, de amadurecer, de nos desiludirmos de buscar salvadores fora de nós, de libertar tudo o que não tem “ecologia” interna e externa, de reconectar com a nossa essência e viver a partir do que é ecológico e essencial. Para isso precisamos alinhar-nos internamente com essas propostas pois caso contrário não as aproveitaremos positivamente e pagaremos os preços de nos mantermos adormecidos na gaiola.

Viver desperto é compensador sem dúvida, mas é exigente e dá trabalho; implica consciência, estado de alerta, implica questionar, escolher diferente de quem nos rodeia, informar, responsabilizar pelo uso do livre arbítrio, por em causa, criticar, resistir ao que não tem “Ecologia” e escolher muito bem toda e qualquer proposta que venha de “quem manda” quando já temos provas mais do que suficientes que não será o nosso bem-estar ou qualidade de vida com certeza.

Para isso, inspirada pela maravilhosa Lorie Ladd num vídeo ( https://www.facebook.com/watch/?v=813205612593399 ) que postou o ano passado, reforço a mensagem para este Natal e novo Ano de que precisamos redescobrir uma palavra que anda perdida e esquecida no nosso dicionário;

Soberania!

Definição de soberania;
– Independência, emancipação, liberdade, autoridade, senhorio, reino, superioridade, influencia, capacidade, excelência, magnificência, majestade, autonomia, auto determinação.

Antónimo de soberania;
– Dependência, submissão, insignificante, inferior, ingénuo, ineficaz, inútil, pequeno, baixo, subalterno, tímido, subordinado, condicionado.

Embora originalmente a palavra fosse usada no que toca ao poder do estado sobre as várias áreas sociais; finanças, saúde, educação, prazer, alimentação e outras, ela pode ser usada no que toca ao poder de Deus sobre toda a Vida, ao poder do Estado sobre os cidadãos e também ao nosso próprio Poder Pessoal sobre nós mesmos e sobre as várias partes que nos compõem; finanças, saúde, educação, prazer, alimentação e outras.

O estado de dependência e identificação com o molde social em que vivemos é tão grande, que qualquer pessoa que se atreva a pensar diferente, a fazer diferente, a por em causa a “normalidade” como sendo tóxica, é rebelde, é perigosa, é doente, tende a ser excluída e ridicularizada.

Se me tens seguido no Clube das Ovelhas Negras procura ver a humanidade como o rebanho e o Indivíduo como a Ovelha Negra. Quando estamos no rebanho não pensamos, somos levados, confiamos cegamente e confundimos facilmente obediência com responsabilidade. Algures cansamos de viver no adormecimento, cansamos de seguir vozes externas e despertamos como Ovelha Negra para relembrar a nossa individualidade, reconquistar o poder perdido e então seguir a sagrada voz interna.

A humanidade tem sido o rebanho a ser direcionado por “quem manda” e as poucas Ovelhas Negras têm sido abafadas, ridicularizadas e até mortas.
2022 será um Ano Universal 6 o que quer dizer que daqui a 3 anos, a Humanidade fechará um ciclo e abrirá um novo em 2026.
2025 será um Ano Universal 9 que nos pedirá mudança, limpeza, libertação, cura de tudo o que não gostaríamos de ver repetir-se no futuro e que irá abrir espaço para que novas formas de viver surjam.
Astrologicamente o panorama para essa altura é igualmente riquíssimo na forma de oportunidades de mudança que podem ou não ser aproveitadas, dependendo do grau de consciência individual de cada um. Ou seja, a partir de 3 / 4 para a frente, a proposta é de acordar as adormecidas ovelhas do rebanho e devolver-lhes a consciência, o poder da sua individualidade e respetivo Livre Arbítrio ou seja, a sua Soberania! Inverter os poderes de fora para dentro. Resgatar velhos valores perdidos como soberania, ecologia pessoal, fraternidade, cooperação, respeito social e tantos outros que iremos aprender a bem ou a mal.

Espero que estas palavras façam eco no teu coração, que te ajudem a pensar e questionar tudo, a viver atento à magia de cada momento, a trocares a televisão pelas tuas pesquisas pessoais, que te inspirem a reclamares a tua soberania sobre ti mesm@ a seres uma referência para quem te rodeia e para os teus herdeiros como alguém que ajudou o mundo a ser um lugar mais bonito.

Desejo umas Festas muito Felizes a Tod@s e um Maravilhoso 2022!
Vera Luz

Partilhe =)

Sobre o autor

Deixa um comentário

*

code