Da Pandemia ao Pandemónio!

0

Bem, quando a televisão diz #fiqueemcasa, o primeiro ministro diz a passear no Chiado #venhaparaarua e tenho que estudar 78 regras para poder #iràpraia, está na altura de arrumar a cabeça e isso para mim significa escrever.

Quem me conhece sabe que o meu trabalho e o que escrevo é consistente há muitos anos. Que a mensagem base de todos os meus livros, e-books e textos é a espiritualidade. Que é nas consultas que trabalhamos a Espiritualidade como convite de aprendermos a viver a partir do espírito e o seu projeto de evolução espiritual, e não apenas o da personalidade / corpo, de uma rotina comer-trabalhar-disfrutar-dormir.

É da união então entre a agenda do espírito e a agenda da personalidade, que se revela a nossa verdade, que descobrirmos o verdadeiro prazer de viver com sentido e se esconde a nossa proposta de evolução pessoal e colectiva.

Há quem já esteja “Desperto” para esse convite. Há quem ainda esteja “Adormecido” para ele. E está tudo bem pois todos os estados de consciência fazem parte do processo de evolução.

Nas últimas semanas todos fomos testemunhas de uma gigante mudança de Paradigma mudou a nossa forma de viver.
Sempre assim foi nas mudanças de Paradigma ao longo da história.
Mudanças de Paradigma são na verdade revoluções gigantescas que nos obrigam a reformular crenças, valores, prioridades, visões do mundo, conceitos de normalidade, de certo e errado, etc. Ou seja, aquilo que nos servia de padrão e era norma é alterado e substituído por uma realidade nova, nem sempre fácil de entender e aceitar e muito menos de dar resposta. Principalmente esta à velocidade em que aconteceu.

Por exemplo, quando há dois séculos atrás saímos de uma forma de pensar cheia de dogmas, julgamentos e fundamentalismos religiosos para uma mente mais racional, crítica e científica. Ou por exemplo quando saímos de formas de viver rurais, relativamente pacíficas nos seus sistemas de cooperação para uma revolução industrial onde o ritmo acelerado nos fez perder qualidade de vida e nos prendeu ao espírito de competição que vemos desenfreado até hoje.

Mudar um Paradigma é resumindo, mudar radicalmente TUDO o que para nós era a norma, o aceite e o que seria “normal” e aprender a ver o mundo por novos olhos, permitindo que novas realidades existam. É largar o velho (difícil) e aceitar o novo (difícil) um desafio enorme para a maioria e por isso mesmo a resistência é normal como primeira resposta.

Em tempos de transição e instabilidade característicos das mudanças de Paradigma, há sempre choque, revoluções e guerras até.

Mais do que ser o bem contra o mal, a mudança de Paradigma esconde a batalha do velho contra o novo. O tradicional contra o irreverente. O normal contra o diferente.

Por exemplo, durante este tempo fui insultada, chamada à atenção, julgada e até bloqueada pela simples razão de que ter opinião pessoal, ler e partilhar abordagens “conspiracionistas”, considerar válidas informações que contrariam os media, rejeitar com fundamento a visão do medo, mexeu com a imagem interna “normal” de terapeuta espiritual que alguns tinham de mim.
Mas se há coisa que sou e defendo é a liberdade, a capacidade de pensar, de considerar alternativas, de estar atento e flexível a todos os níveis, de criticar o que não me faz sentido, de viver aberto e com consciência ao que me chega pois só dessa consciência serei capaz de dar resposta positiva à minha vida e poder então sim, levar essa mensagem aos meus clientes.
Viver desconectado foi um dos problemas do velho Paradigma e seremos poucos os que em breve lembraremos as condicionantes de velhas e ultrapassadas formas se viver.

Estamos a sair de um Paradigma que durante muito tempo nos afastou de nós próprios:

– Defendia imagem de pessoa “perfeita”
– Seguíamos verdades dos outros ou sociais
– Procurávamos segurança e identidade no exterior
– Seguíamos ditames externos
– Julgávamos a diferença, incapazes de aprender com ela
– Não tínhamos integrada a dualidade em nós
– Sofríamos de sindrome de inferioridade e superioridade
– Víamos o rebelde e diferente como negativo
– o “normal” era o certo
– A televisão e jornais dizem sempre a verdade
– A vitimização era normal e incentivada pelos próprios media
– A busca da perfeição como caminho da salvação
– O governo defendo os interesses do individuo

A vida não vai ser muito fácil para quem ainda vê o mundo por este velho paradigma.

Então como podemos preparar-nos para o novo Paradigma que invadiu as nossas vidas?

Começando por perceber os dois estado internos dominantes a que estamos sujeitos. Nunca vamos poder controlar o que está fora. Mas podemos e devemos sempre controlar a resposta interna ao exterior. É daí que vem o nosso poder pessoal!

::::..O Desperto está alinhado com a energia do Amor, já vive aberto para a mudança, permite que ela aconteça, procura alinhar-se com a sua proposta, responde à vida a partir dos seus valores pessoais, rejeitando e concordando com o que seu coração/alma lhe manda.

::::..O Adormecido está alinhado com a energia do medo, vive fechado para a sua evolução pessoal, quer segurança a todo o custo, confiando-a exageradamente a poderes externos, resiste a qualquer tipo de mudança, inconsciente de que a sua vibração do medo é co-criadora da sua realidade.

A PNL (Programação Neuro Linguística) chama-lhe movimentos “Away From” (Fuga/Resistência) ou “Towards To” (Em direção/Aberto a).

Se não tivermos consciência destas duas “respostas” internas, podemos estar toda uma vida a fugir da vida, (away from) a alimentar medos e inseguranças, a evitar os embates de crescimento, gerando depois as respectivas consequências numa vida vazia, condicionada, sem qualidade e sem sentido.

O novo Paradigma que estamos a assistir a nascer, ainda por cima com uma energia Aquariana de liberdade e igualdade, traz novas propostas;

– Aprendermos a viver conscientes do nosso propósito espiritual, Viver Despertos para os eventos à nossa volta

– Aprender a perguntar “PARA QUÊ?” e evitar o neurótico e vitimizador “porquê”.

– Reorganização da sociedade com regras e leis justas que fomentes a liberdade, respeito, ecologia, verdade, justiça

– Rejeitar qualquer forma de opressão ou domínio do outros sobre nós próprios

– Alinharmos personalidade e espírito das mais variadas maneiras

– Viver “Towards To” abertos e disponíveis para as experiências da vida, recusando movimentos “Away from”

– Reconhecer o medo como um teste a superar e não permitir que ele nos bloqueie ou condicione a nossa escolha

– Conhecermos a nossa proposta de evolução pessoal para que então possamos contribuir positivamente para o colectivo

– Manter a energia elevada, o sistema imunitário forte, a mente positiva e aberta é uma maneira responsável de contribuir

– Questionar leis e regras e que desrespeitem os valores da liberdade e do respeito pelo próximo

– Libertar o julgamento a nós próprios e aos outros

– Sendo tolerante mas colocando limites a quem ainda vibra no medo

– Ser a Luz na escuridão através da coragem, da verdade, da irreverência, da paciência, da tolerância, da informação e conhecimento, do amor e poio, enfim o amor nas suas infinitas expressões

– Ser fiel à visão do amor e da luz e confiar nos planos maiores de evolução colectiva a que estamos sujeitos, responsabilizando-nos pela parte que nos toca (conhecer bem a nossa proposta astrológica pessoal).

O mundo está em obras. São essenciais à construção do novo mundo. Mas a mensagem mais importante é tomarmos consciência de que, tal como nas obras, não podemos construir um novo mundo com os materiais do mundo velho.

E ao contrário de tijolos, azulejos e cimento, os novos materiais são;
Novas ideias
Novos conceitos de certo e errado
Novas filosofias de vida
Novas expressões de medo e amor
Novos sonhos e objectivos
Novas rotinas
Novos ou mais nobres valores e princípios
Novas políticas
Novas responsabilidades
Novas formas de comunicar e relacionarmo-nos baseadas em valores diferentes
enfim.. preparemo-nos para o novo, deixemos ir o velho, sem nunca nos perdermos da energia da luz e do amor.

E nos dias que correm, sigamos o conselho de Eleonor Roosevelt;
“Grandes mentes discutem ideias, mentes medianas discutem eventos, mentes pequenas discutem pessoas.”

Que o Novo Paradigma traga a Luz e o Amor sempre possíveis nas nossas escolhas! <3 Vera Luz

Partilhe =)

Sobre o autor

Deixa um comentário

*

code