Uma história única

1

Acredito que muitos já​ estão confortáveis com a ideia de que já vivemos antes, que trazemos connosco uma imensa bagagem que​, quer queiramos ou não, nos condiciona tanto no que nos atrai como no que nos retrai.
Se nos tivessem preparado para estarmos atentos aos sinais e às energias que vamos atraindo sem o dedo do julgamento e projecção no outro das cargas que carregamos​, já teríamos juntado muitas peças que compõem o gigante puzzle ​que esconde a nossa verdadeira história.
Não a nossa história actual/social mas a nossa história espiritual.

Infelizmente a educação do Ocidente a que todos estivemos sujeitos falava apenas da missão social onde o único objectivo era atingir uma persona e vida “perfeita” ​que tanto servia o “sucesso” social/profissional como servia o propósito religioso de agradar o caprichoso Deus como de escapar ao inferno.
Logo, todo o enquadramento espiritual e Karmico ​deixou de se fazer…
Ou seja, o que nos faz sentido e o que não faz, deixou de ser ouvido levando-nos então a escolhas que na maior parte das vezes nada têm a ver com a nossa história mas apenas adornam a dita máscara.

Embora sejam condicionantes que nos levam a ​escolhas inconscientes, não deixam de ser escolhas e logo irão originar consequências​ pelas quais teremos que nos responsabilizar.
A mais perigosa,​ tem provado ser o afastamento da nossa essência e a identificação ​total com a nossa persona. E não são raros os que confundem as duas ​energias quando questionados acerca da sua identidade…

No entanto, a máquina cósmica foi criada para apoiar a viagem do espirito e logo irá “polir” tudo o que não esteja alinhado com os mais elevados valores espirituais que apoiam a nossa autonomia, auto preservação e equilíbrio pessoal.​ Muitas das escolhas que fizemos então em prol da máscara acreditando ser a escolha “perfeita” acaba por não funcionar, levando-nos inclusive a sensações de injustiça, revolta e incredibilidade perante um Deus cego que parece não reconhecer o nosso esforço de “perfeição”.

Infelizmente muitos são os que ainda acreditam que a “recompensa divina” é atribuída aos “perfeitos”…
Se assim fosse, muitos seriam os que estariam protegidos da dor e da perda.
Mas a realidade mostra que não é bem assim.

A abundância que tanto ansiamos vem, não dessa máscara perfeita mas sim como consequência do trabalho interior que já fizemos.
Do alinhamento com a nossa história pessoal.
Da responsabilização karmica pelo que atraímos.
Do amor próprio que já conquistámos.
Da humildade de percebermos quem somos.
Da coragem de seguirmos o nosso caminho.

Os últimos anos mostraram-nos onde e como estávamos em desequilíbrio INTERIOR, onde vivíamos aquém do nosso potencial INTERIOR, esquecidos do nosso propósito original INTERIOR.

E qual é afinal esse propósito, perguntas tu?

– Honrar as nossas vidas passadas.
– Procurar finais felizes para os seus dramas.
– Resgatar o amor próprio e a valorização pessoal tantas vezes perdida para poderes exteriores.
– Corrigir as escolhas feitas sem amor e colocar ao serviço do mundo, os potenciais já resgatados para que o deixemos um pouco melhor do que o encontrámos.

Deste ponto de vista, podemos imaginar como cada um de nós viveu vidas únicas, experiências únicas, fez escolhas positivas e negativas que precisam de ser agora sentidas e honradas dentro de nós, não fazendo normalmente sentido nenhum a quem nos rodeia pois o outro não tem o registo emocional da nossa história.

Por exemplo;
Um mulher morre numa vida passada frustrada e com um imenso vazio porque nunca teve filhos. Nasce no presente com uma vontade imensa de ser mãe numa quase obsessão de “vingar” aquela vida.
A sua melhor amiga por contrário trás uma memória de ter perdido um filho bebé e logo não quer nem ouvir falar em engravidar ou ser mãe.
A conversa entre as duas será curiosa principalmente se não se questionarem de onde podem vir afinal as suas inclinações.
Conscientes ou inconscientes do passado, a primeira não irá parar enquanto não engravidar e a segunda irá adiar ou evitar qualquer gravidez…

Tomarmos consciência da nossa história espiritual, percebermos os padrões que carregamos, ​é então essencial tanto para entendermos a maneira como reagimos ao que atraímos como é para aprendermos a ser neutros e tolerantes quando as escolhas dos outros nos testam e não nos fazem sentido.
Cada história é única de facto tal como a proposta de encarnação que trazemos connosco e conhecê-la, estarmos conscientes dela, é um sinal de inteligência, sabedoria e humildade perante a Ordem Maior.

Tanto a Astrologia como a Numerologia Karmicas têm o poder de nos revelar o que de melhor e pior trazemos connosco. Que história sagrada é essa afinal que me trouxe à terra para resolver. E enquanto a mesma não estiver consciente e não se tornar uma prioridade, os encontrões do Universo para que a resgatemos terão que continuar a acontecer…

Bem Hajam!
Vera Luz

Partilhe =)

Sobre o autor

1 comentário

  1. Rui M. Esteves de Carvalho em

    Querida Vera.
    Já temos trocado mails e agora que acabo de receber este não posso deixar de te dizer que é com muito agrado, respeito e amor que te recebo tal como recebi e li dois dos teus livros de que muito gosto, divulguei e ofereci,
    És uma Luz Forte neste Planeta e espero e peço a Deus que a Chama chegue ao coração de tantos quantos vivem vidas irrequietas em busca da Paz, da Justiça e da Tranquilidade, em suma: Do AMOR.
    Sempre agradecido à tua Luz e a todos quantos sentem e apreciam mais SER e menos TER.
    Rui

Deixa um comentário

*

code