O poder da Vénus

1

O Amor próprio, a Valorização Pessoal e a Segurança Interior são das mais poderosas qualidades que o ser humano pode desenvolver. Desenvolver e trabalhar estas qualidades internas, é condição essencial para as conseguirmos materializar no mundo material através do amor, do dinheiro e do conforto. Aliás, a famosa Lei da Atração está associada à nossa vibração pessoal que, dependendo da maneira como nos amamos e valorizamos a nós próprios ou não, os faz chegar experiências com vibrações idênticas.
Qualquer uma destas qualidades é domínio da Deusa Vénus que se comum e romanticamente é apelidada de Deusa do Amor, eu gosto de vê-la como Deusa do Valor.
Até porque só amamos o que valorizamos, certo?

Vénus trata do amor, qualidade, exigência e cuidado na maneira como nos tratamos a nós próprios e como dizemos ao mundo que merecemos ser tratad@os.
É a tabela que cada um de nós define interiormente acerca do que merecemos e permitimos ou não. É o grau de carinho, respeito e exigência que temos com a nossa pessoa, o nosso tempo, o nosso espaço, o nosso corpo,  o nosso dinheiro, as nossas tralhas e, claro, os nossos relacionamentos.
Vénus é a capacidade que todo o ser humano tem de activar o seu amor próprio, de fazer correr o Amor nas veias, de desenvolver a essencial capacidade de nos amarmos a nós próprios, muito antes de chegarmos a qualquer relacionamento ou de acumularmos dinheiro no banco.

Como Deusa do Valor que é, e porque tudo é energia, Vénus dá-nos a capacidade de materializarmos exteriormente na forma de dinheiro e bens materiais o seu estado interior de valor interior. A abundância seja  a escassez, ambas as experiências são normalmente propostas pela Deusa.
Infelizmente andamos hoje perdidos do seu funcionamento básico e natural de manifestação “de-dentro-para-fora”, ou seja, quando eu tenho valor eu materializo, tentando forçar o fenómeno oposto “de-fora-para-dentro”, quando eu materializo, eu tenho valor.
Além de extremamente difícil, o movimento contra-natura de “fora-para-dentro”, fracassa sempre.
Seja no milionário solitário e de coração vazio ou no sem abrigo que encontrou Deus e encheu o coração, ambos mostram que o equilíbrio que a Deusa nos pede não é de todo fácil e que tanto as lições de abundância ou escassez são muito mais profundas do que possamos imaginar.

Deste ponto de vista podemos então dizer que uma “Saudável” Vénus tem o poder de nos criar Paraísos tal como uma Vénus “problemática” tem o de nos criar infernos.

Uma Vénus poderosa sabe que o amor nasce dentro de cada um e como tal é uma dádiva, uma fonte interna, um movimento expansivo, jamais uma exigência.
Consciente do seu movimento natural, uma “Boa Vénus” não ficará muito tempo perto de fontes secas que sugam que a rodeia. Uma “Boa” Vénus, retira-se quando sente que está a ser sugada.

Como sabe que tem a capacidade de ser auto-suficiente, uma “Boa” Vénus jamais dependerá do outro para se nutrir. E porque valoriza o seu maravilhoso néctar dos Deuses, irá apenas oferecê-lo a quem se mostre merecedor. Uma Vénus “Fraca” irá cobrar, exigir e manipular revelando assim a sua secreta carência e “fraqueza”.

Uma maneira que temos de analisar em que estado anda a nossa Vénus é precisamente a perceber que frequências de outras Vénus andamos a atrair.
Independentemente do que o nosso ego nos faz acreditar sobre a nossa Vénus, o que gira à nossa volta nunca estará longe da representação da nossa. O próprio estado geral do mundo em que estamos nos dirá o longe que  ainda estamos de acedermos aos mais elevados níveis de poder das nossas Vénus aos quais só chegaremos pela via do Amor e do Merecimento. A falta de amor que sentimos no mundo mostra o estado de amor que temos por nós próprios. E por mais que nos choque esta ideia, mostra o quanto estamos longe do potencial da mesma.

Outra maneira ainda mais poderosa de analisarmos a nossa Vénus é através da auto-validação profunda, honesta, real da consciência que temos no que toca ao nosso valor. Por exemplo, apenas no que respeita à tua frequência geral de amor próprio, atribui-te um numero de 0 – 10.
Cuidado pois o nosso ego tende a avaliar alto mas a alma sabe bem onde estamos… Importante mesmo é definirmos o nosso número pois tendo consciência dele, facilmente resistiremos às ilusões exteriores, tanto de quem nos vê abaixo ou acima do mesmo.

Partindo então desse numero, real e honesto para ti, questiona o que tens feito para o aumentar. Procura “ganchos”, entraves, desculpas, mentiras pessoais, crenças e ilusões que a impeçam de ser a mais elevada versão da tua Vénus.
Esse número é fruto de uma “Boa” Vénus ou de uma Vénus “Fraca”?

O estado em que sentimos a nossa Vénus, o número que sabemos em que ela está neste momento das nossas vidas, irá então fazer atrair “mais-do-mesmo” pois só assim, cansados e exaustos de guerras, cobranças, exigências, projecções, ilusões e expectativas, nos cansemos e possamos finalmente honrar a sua natureza dizendo, enquanto subimos mais um degrau;

“Eu Mereço Melhor!”

Porque nos desconectámos desta capacidade de nos amarmos a nós próprios, porque perdemos a noção de como resgatar este poder interior, porque ninguém sabe e por isso ninguém nos incentivou a activar esta fonte de amor, prazer e valor interior, começámos a ir em busca dela lá fora no mundo, nas tralhas, no dinheiro e nos amores, projectando e exigindo dos outros o que nós próprios nos esquecemos.
Com fontes internas de amor próprio secas por falta de uso, habituámo-nos a ficar presos no amor=a-dois, amor=dinheiro, amor=sucesso, amor=apegos, amor=poder.

Aprender a Amar, sempre foi, é e sempre será a Grande Aprendizagem do Espirito na matéria e logo todo o tipo de amor inferior, sem qualidade, manipulado, exigido, comprado e dependente de fontes exteriores irá ser regularmente identificado e posto em causa para que possa então dar lugar a versões mais elevadas, saudáveis, inteligentes e verdadeiras de amar

Deixemos então a Deusa fazer o seu trabalho de nos revelar como acedermos à mais elevada versão de nós próprios e para isso teremos que permitir que ela nos leve ao submundo, nos liberte de velhas e podres prisões Karmicas que ainda enferrujam o nosso brilho. Não é raro por isso sentirmos lembranças de tempos antigos em que a nossa Vénus não se valorizava para que os possamos actualizar e reconhecer o imenso trabalho que já fizemos entretanto assim como o tanto que ainda temos por fazer.

De 18 em 18 meses, durante 40 dias e 40 noites ou sempre que a nossa Vénus é visitada por trânsitos pontuais, iremos ser convidados a perceber, sentir, reconhecer, atrair pistas, sinais e sincronias do estado interior da tua Vénus.
Tudo o que irá doer obviamente não tinha qualidade.
Tudo o que irá sair, terá algo melhor à espera.
Tudo o que irá chegar será um teste.
Tudo o que é puro e verdadeiro, irá sobreviver e ganhar ainda mais poder e valor.

Love YourSelves Always!

Vera Luz

Partilhe =)

Sobre o autor

1 comentário

  1. Paola Timboni Alano em

    Parabéns pelo Texto! SUPER LÚCIDO e foi um dos textos mais esclarecedores que li!!!! <3 <3 <3

Deixa um comentário

*

code