Karma, o princípio do “olho por olho”

0

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a Lei do karma nada tem de castigo. Antes pelo contrário é uma Lei que fala de amor, justiça, aprendizagem, crescimento, responsabilidade e ainda, menos conhecida mas imensamente importante, de auto-preservação.

A Lei do Karma é uma força neutra que apenas devolve consequências. Ela não premeia nem desculpa. Ela devolve o que sai de nós.
Se o que sai de nós é medo, insegurança e revolta, não é a máscara simpática que colocamos que vai enganar a Lei do Karma pois a nós voltarão as consequências de agirmos com medo, insegurança e revolta.

Também não interessa se o respeito ou acto de amor incondicional foram feitos por desconhecidos ou por nós próprios. A Lei do Karma devolve o respeito e o amor incondicional.

A mensagem é então trabalharmos e cooperarmos positivamente com a Lei do Karma, responsabilizando-nos por vibrarmos nas mais elevadas frequências possíveis pois é delas que virão os retornos.

Cada um de nós tem um “Saturno” pessoal, ou seja, um Mestre interno que vai regendo as nossas escolhas. Seja a registar o que plantamos hoje seja a trazer-nos de volta as consequências do passado. Não nos cabe por isso julgar se as escolhas ou colheitas, nossas ou dos outros são positivas ou negativas. Se são mais ou menos justas pois aí estaremos a colocar todas as leis cósmicas e o funcionamento Karmico em causa.

O seu principio de “olho por olho” é brutal e de facto desconfortável. Por exemplo, não é fechado numa cela  que alguém irá sentir na pele a dor e a frustração financeira que causou quando roubou um carro a alguém. Também não é com uma doença que alguém irá aprender sobre autoritarismo ou abuso de autoridade sobre os outros.  Ou seja, nem sempre a justiça dos homens está alinhada com as intenções da justiça karmica. Mais cedo ou mais tarde, no tempo certo, com a pessoa certa e da maneira certa, a vida irá recriar as circunstâncias karmicas que permitam que o retorno seja igual ao plantio. Só sentindo o impacto das nossas próprias escolhas passadas é que aprendemos sobre as nossas ações.
Pelo lado positivo, ela deixa na nossa mão decidirmos o que queremos experienciar no futuro, permitindo que o nosso livre arbítrio lance hoje para a vida a energia, as frequências e as ações que iremos ter todo o prazer e alegria de colher um dia.
Está na nossa mão de hoje decidir as experiências futuras.

Vera Luz

Partilhe =)

Sobre o autor

Deixa um comentário

*

code