As energias que atraímos

1

O mundo está cheio de eventos pessoas e acontecimentos infinitamente variados.

Para muitos o mundo é ainda um espaço caótico sem rei nem regras onde domina a lei do mais forte e o espírito de competição.

Muitos no entanto começamos já a perceber que o mundo é um espaço perfeitamente organizado onde circulam energias inteligentes que fazem atrair à nossa realidade a materialização do que nos vai dentro.

Macro teatros dos nossos micro dramas.

Tanto podemos sair a rua e passar um dia feliz cheio de sinais de amor e magia como dar de caras com a violência a dor e a frustração.

E o mais natural é até que tenhamos um cheirinho de ambos pois afinal somos seres duais..

Sem a consciência de que ambas as energias fazem parte da experiencia humana e que ambas existem dentro de nós, vivemos desde sempre instintivamente a ansiar apenas as positivas e a tudo fazer para rejeitar e evitar as negativas.

No entanto, quando começamos a estudar as leis universais e a mecânica espiritual do universo, aprendemos que apenas iremos atrair para a nossa realidade, o que está já previsto como essencial à nossa evolução e ao equilíbrio das dividas Kármicas.

O que vem a nós são as vivências das nossas escolhas nas suas vertentes positivas, negativas, elevadas, inferiores para que tenhamos várias perspectivas das mesmas e podermos assim vivencia-las em todas as suas vertentes.

Tal como no processo homeopático, semelhante irá atrair semelhante.

O fenômeno das notícias e o excesso de informação com que somos inundados fez-nos perder a noção do que é afinal espelho osso e o que não é. Do que é afinal um sinal e proposta pessoal de transformação para a nossa história e o que não tem nada a ver connosco, ou com a nossa história.

Já todos percebemos que a nossa história espiritual e o percurso da nossa alma têm como propósito a evolução emocional e energética.

Somos então cada um de nós, pacotes de energia magnéticos que irão atrair cada um à sua realidade os eventos e as pessoas essenciais para que essa história se cumpra.

Logo, como é óbvio, nem tudo o que vemos passar nos meios de comunicação nos irá servir pessoalmente ou fará parte da nossa experiencia.

Estamos exageradamente expostos a tudo o que acontece por esse mundo fora 24h por dia, onde somos confrontados com noticias de eventos e acontecimentos que têm o poder de alimentar o nosso medo ao ponto de nos condicionar a nossa ação e passar a temer desfechos idênticos, fazendo-nos perder a intuição do que é de facto uma mensagem para nós e o que não é.

Ninguém nos ensinou a olhar para o que vem a nós como sendo atraído por nós e por isso, mais ou menos consciente, ainda todos temos um enorme nó de medo que nos faz acreditar na sorte e no azar e que nos faz temer o que talvez nunca iremos sofrer.

Pior ainda, esse medo que nos é incutido por imagens e histórias que não estão na nossa realidade pessoal, que não foram propriamente atraídas por nós à nossa realidade física, vão baixar a nossa frequência para níveis de medo tão intensos onde aí sim de facto poderemos correr o risco de as materializar!

Lá chegará o dia em que num estado de maior respeito e amor próprio, fazendo consciente uso da escolha de qualidade, iremos recusar qualquer fonte exterior que não vibre já na energia do amor e da sabedoria que queremos manifestar.

Todos já sentimos este impacto e o poder de uma informação exterior nos assustar e fazer vibrar no medo, verdade?

Da mesma maneira podemos passar a escolher dar o poder ao optimismo, à fé total na máquina cósmica inteligente, ao amor e à verdade, concordas?

Se manter a nossa energia elevada é que nos assegura a fluidez e a atracção de energias elevadas, rejeitar vibrações inferiores é então uma atitude inteligente de respeito e amor próprio ou mesmo de auto-preservação.

Como disse ao inicio, iremos estar sempre sujeitos aos dois polos das energias.

Apenas temos que dar o devido espaço de sentir, intuir, processar que informações são de facto mensagens sagradas para nós e o que é apenas ruído mundano.

Para isso precisamos de silêncio interior e de activar o filtro que destingue o que nos faz sentido do que não faz..

Qualquer pessoa que já tenha iniciado a sua busca espiritual e se tenha permitido deslumbrar com uma leitura do seu mapa astrológico, já percebeu que a nossa existência tem propósitos e objectivos muito mais elevados e sagrados do que a nossa limitada mente concebe perceber.

Quer queiramos quer não, acreditemos ou não, estamos condicionados a viver a vida que as nossas energias permitem e os trânsitos convidam. Estamos cá para cumprir a proposta de um espírito que tem propósitos bem mais nobres do que o nosso inferior e materialista ego.

Ganhar dinheiro, encher a barriga, ser perfeito e ter poder é de facto o propósito do nosso ego, mas no que toca ao alimento da alma, estamos agora a começar a ouvir os seus mais discretos e amorosos anseios e a levá-los mais a sério.

Tão habituados que estamos a ver o mundo material como um espaço caótico, ainda presos à crença da sorte e do azar, incapazes de aceder aos campos energéticos que nos ligam das mais variadas maneiras, vamos levar ainda algum tempo a confiar que cada um de nós individualmente, está a atrair para a sua realidade o que está programado vir como aprendizagem ou resgate Kármico.

Muitos são ainda os que se recusam a aceitar esses espelhos mantendo-se assim na luta e julgamento contra o que atraem. Felizmente são cada vez mais os que percebem que a libertação dessas energias exige uma postura muito humilde de reconhecimento do espelho do outro e de responsabilização pela sombra que ele veio expor. Até que isto aconteça, a evolução não acontece..

Fica então a proposta de olhares para a tua realidade e analisares a presença sagrada tanto das pessoas que mais te irritam como a das que mais admiras.

Bem Hajam!

Partilhe =)

Sobre o autor

1 comentário

Deixa um comentário

*

code