A mensagem do Black Friday

0

Todos os anos é a mesma coisa.
O Black Friday, o Cyber Monday e o materialismo Natalício a relembrar o nosso eterno dilema; como harmonizar o mundo material com o mundo espiritual. Como valorizar o nosso dinheiro e tirar partido dos prazeres, coisas e experiências que o mundo tem hoje à nossa disposição sem nos desconectarmos dos nossos valores interiores, da nossa verdade e da responsabilidade de nos sentirmos felizes e em paz com a realidade à nossa volta.

E não é raro vermos posturas radicais de um ou do outro lado da balança. Seja os que estão neste momento apinhados em Shoppings a tentar levar mais uma tralha para casa, seja os que aproveitaram o dia para fugir da “loucura”, ambos terão algures na sua vida que integrar e fazer as pazes com o outro lado.

Os que estão nas compras irão, algures no tempo, chegar a casa e humildemente reconhecer que o que está dentro do saco não preenche nem cura o vazio interior, a solidão, a tristeza ou resolve a relação tóxica em que está preso.
Os que fogem e criticam exageradamente os que estão na loja, irão algures humildemente admitir que parte do seu conforto do dia a dia vem das tralhas materiais e reconhecer que seria ideal comprar um computador novo ou renovar o armário por metade do preço.
Como sempre são os exageros que nos afastam do equilíbrio, que nos fazem adoptar posições extremistas, que nos fazem esquecer que cada um de nós está no seu estágio de evolução, a aprender na sua realidade pessoal, as mais valiosas lições. O livre arbítrio de cada um mostrará o estado de consciência em que cada um se encontra e irá trazer-lhe as lições que ainda precisa.

Se uns já aprenderam a passar estes dias no descanso da casa ou num passeio pela Natureza com quem mais amam, óptimo! desfrutem da vossa aprendizagem e escolha do momento. Como já atingiste um estágio saudável, procura então como elevá-lo ainda mais.
Se outros ainda precisam do desgaste e ainda vivem na ilusão do preciso de TER para SER, então deixemo-los estar a aprender as suas lições lá no meio da multidão. A desilusão virá ajudar a restaurar o equilíbrio.

Não é raro ver pessoas e até terapeutas com dificuldade em lidar com as questões do dinheiro e dos valores. O mundo material, seja ele das “coisas” ou das “máscaras”, é de facto tentador e tem esse magnetismo de nos afastar da nossa essência e consciência pessoal. Mas a verdade é que cá estamos e tanto o corpo como o espírito precisam de alimento. Deixo assim algumas sugestões para nos lembrarmos acredito é de facto importante para qualquer um de nós. Ou melhor dito, o que tem realmente VALOR e onde queremos então investir o nosso dinheiro.

A parte física tem necessidades básicas tais como;
– Comida e bebida
– Tecto para viver
– Roupa para nos protegermos
– Transporte básico

A parte mental precisa de;
– Livros
– Cursos
– Formular objectivos que nos tirem da zona de conforto
– Aprender a estar na causa e não no efeito
– Manter uma mente positiva e optimista
– e cada vez mais uma boa máquina que nos conecte com os outros e com a informação do mundo

A parte emocional precisa de;
– Paz e liberdade
– Respeito e espaço para sentir a emoção de cada momento
– Terapia e integração de experiências presentes e passadas
– Alegria pura, sentido de humor
– Desenvolver o estado de gratidão
– Sentir amor próprio e compaixão pelos outros
– Entender o papel de quem nos rodeia

A parte espiritual precisa de;
– Filosofar / questionar
– Ter consciência de si mesmo
– Procurar dar significado à sua vida
– Aprender Astrologia e Numerologia
– Estudar as antigas filosofias e leis cósmicas
– Aprender e evoluir com todas as experiências e encontros

Que seja um tempo feliz e principalmente de consciência individual para cada um <3

Vera Luz

Partilhe =)

Sobre o autor

Deixa um comentário

*

code